TRATAMENTOS ESPECIAIS

CONHEÇA MAIS SOBRE TRATAMENTOS

APLICAÇÕES DO EXAME DE SALIVA 

- TRATAMENTOS DE MODULAÇÃO HORMONAL BIOIDÊNTICA 
- FADIGA ADRENAL 
- INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

Os segmentos da Saúde Preventiva, Medicina Integral e Medicina Pró-longevidade voltados aos tratamentos hormonais ganharam poderoso aliado para alcançar seus objetivos: o EXAME DE SALIVA.
  
Após anos de estudos e pesquisas, chegou-se à conclusão que o exame salivar é a prática mais precisa para avaliação da dosagem de frações livres hormonais. A dosagem feita através de exame de sangue, além dos elevados custos, é imprecisa, pois os hormônios na corrente sanguínea estão em sua maior parte ligados a proteínas carreadoras ou receptores celulares, mascarando os resultados e induzindo a diagnósticos equivocados e, por consequência, formulações com dosagens inadequadas ao paciente. Na análise feita pelo sangue obtém-se as quantidades totais de cada hormônio analisado quando o desejável é obter a quantidade livre desse hormônio, que possibilitará a cada um deles cumprir a função a que se destina.

O perfil hormonal básico, com 3 análises de Cortisol, Progesterona, Estradiol, Testosterona e DHEA normalmente á suficiente para um bom médico experiente e capacitado a esta tecnologia. Em casos mais raros, caso o médico julgue necessário, poderá ser realizado o perfil master que tem custos mais elevados. 

O laudo salivar fica pronto em média no prazo de 15 dias. Com este resultado e análise dos gráficos gerados nas dosagens hormonais, o médico conhecedor dessa tecnologia poderá prescrever medicamentos não industrializados e não cancerígenos. Serão fórmulas manipuladas em laboratórios de manipulação especializados e aptos à tecnologia de modo que se equilibre a cadeia hormonal de cada paciente. 

É fundamental ter ciência que o corpo humano envelhece com a perda de hormônios e esse processo pode ser retardado com a equilibrada utilização de hormônios bioidênticos, desde que corretamente avaliada a dosagem hormonal no organismo humano. O Exame de Saliva demonstrou ser o melhor instrumento para essa avaliação, indispensável para a correta prescrição medicamentosa. 

O conhecimento de que há hormônios esteróides na saliva, e que podem ser medidos, está sendo usado por mais de 30 anos. Mas só há pouco a tecnologia alcançou essa informação, tornando possível a determinação exata dos níveis do hormônios da saliva. Com os anticorpos específicos para os hormônios esteróides chaves, identificados na saliva pelo laboratório, o médico prescreverá a medicação para fazer as correções necessárias para que se tenha uma vida longa e saudável.

As avaliações do nível de hormônios esteróides através de amostras de sangue, cuja coleta tem suas limitações, é invasora e difícil de cronometrar. O mais importante é que os níveis de hormônio do sangue representam o índice total do hormônio do corpo. A maioria dos hormônios no sangue, cerca de 95%, são limitados às proteínas específicas que os carregam pela corrente sangüínea e podem ser consideradas a fração de armazenamento de hormônio. Os outro 5% representam hormônios livres, disponíveis para mover-se facilmente nos órgãos e cumprir suas funções. A saliva contem estes hormônios livres e podem ser medidos com a tecnologia adequada para dar um retrato exato dos hormônios que estão prontamente disponíveis. 

Após ler as informações sobre o Exame de Saliva neste site, onde ficou demonstrada a simplicidade e as vantagens do diagnóstico salivar em relação aos exames de sangue, conheça agora os principais tratamentos disponíveis a partir do Laudo do Exame Salivar.


TRATAMENTO DE MODULAÇÃO HORMONAL BIOIDÊNTICA (MHBI)

POR QUE O USO DE HORMÔNIOS BIOIDÊNTICOS?

Hormônios bioidênticos são aqueles exatamente iguais aos produzidos pelo corpo humano. O problema com os hormônios sintéticos, com radicais hidroxi-,etinil- e outros, geram radicais livres e resíduos tóxicos e até mesmo cancerígenos.
 
Tratamento sem efeitos colaterais sempre é desejável e é o que se consegue com a utilização de doses adequadas de hormônios bioidênticos a cada indivíduo, seja homem ou mulher, proporcionando saúde e minimizando os riscos. As doses hormonais necessárias para suprir a falta dos hormônios são determinadas de forma mais precisa mediante Exame de Saliva. 

Esses hormônios bioidênticos são ministrados por via intradérmica, conduzidos por cremes especialmente desenvolvidos para esta finalidade, para não prejudicar fígado nem rins, manipulados em laboratórios idôneos, sempre sob a supervisão de um médico. Outros medicamentos de uso oral (suplementos de vitaminas, minerais, fitoterápicos, etc.) são ministrados, produzindo efeitos anticancerígenos, maximizando a imunidade e regenerando as principais funções orgânicas, melhorando o estado geral de saúde e tornando o tratamento extremamente seguro. 

O tratamento é indicado para homens e mulheres utilizando hormônios biodênticos, exatamente iguais aos dos seres humanos.
Essa avançada tecnologia ajuda a minimizar uma série de sintomas devolvendo qualidade de vida.

BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO



  Os hormônios são os mensageiros que as glândulas mandam para orientar as células sobre o que elas devem fazer para proporcionar saúde, equilíbrio orgânico, bem-estar e retardar o envelhecimento. Os hormônios são gerados nos órgãos do sistema endócrino. Exemplos das glândulas endócrinas são as pituitárias, tireóide, timus, pâncreas, adrenais, ovários, testículos. Mais ou menos a partir dos 30 anos de idade, a produção dos hormônios diminui, acarretando vários sintomas indesejáveis que afetam a qualidade de vida.




  
Fazer uso equilibrado de hormônios bioidênticos de maneira segura, sob orientação e supervisão médica é importante arma contra o envelhecimento e manutenção da saúde. O hormônio bioidêntico é uma estrutura química similar ao hormônio encontrado no nosso organismo. Diferentemente do hormônio sintético e natural, onde observamos uma estrutura química bem diferente da nossa. Ex.: isoflavona da soja, hormônio conjugado equino do cavalo e os hormônios sintéticos, manipulados em laboratórios. 





  A medicina antienvelhecimento através da modulação hormonal tem como objetivo não somente tratar aquelas pessoas que apresentam alguma deficiência hormonal, isto é, abaixo da referência mínima, mas principalmente tratar aquelas que têm níveis hormonais dentro da faixa de referência, mas que mostram sinais e sintomas físicos de deficiência hormonal. O objetivo principal deste tratamento é equilibrar a matriz hormonal e desacelerar o envelhecimento, mantendo a saúde em ótimas condições, livre de doenças.



PRINCIPAIS SINTOMAS DE DESEQUILÍBRIO HORMONAL E OS BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO 

SINTOMAS NA MULHER


 

 






SINTOMAS NO HOMEM



    





BENEFÍCIOS DA TERAPIA ATRAVÉS DA CORRETA UTILIZAÇÃO DOS HORMÔNIOS BIOIDÊNTICOS






  

 

FADIGA ADRENAL - entenda de forma simples o que é esse problema

Um dos problemas que mais tem afetado as pessoas nos tempos atuais é a fadiga adrenal. Provavelmente as pessoas que acompanham as diversas publicações sobre hormônios na Internet já ouviram falar nisso. 
São vários os sintomas da fadiga adrenal, muitos característicos de outros problemas também. Os mais comuns e que afetam a maioria das pessoas que têm fadiga adrenal, mulheres e homens, são os seguintes: dores lombares, tonturas, palpitações, pele seca, queda de cabelos, perda de libido, imunidade diminuída, cansaço excessivo, desejos anormais por comidas salgadas ou doces, falhas de memórias, alterações de humor, irritabilidade, envelhecimento precoce. 

O grande problema é que a medicina tradicional não reconhece a existência da fadiga adrenal. 

Quando solicita exame do cortisol o médico requisita pelo sangue porem nesta análise pelo sangue o paciente precisa sair de casa, pegar o automóvel ou um veículo coletivo para ir ao laboratório, agita-se no trânsito, enfrenta fila no laboratório e vai receber uma picada de agulha na veia para coletar a amostra. Isso tudo faz o cortisol subir como reação normal do organismo. Assim esta amostra coletada não representará o verdadeiro nível do cortisol pois fatores externos fizeram ele subir e geralmente esta análise vai apontar um resultado de falsa normalidade.

A forma mais eficaz de identificar a fadiga adrenal é o diagnóstico salivar, medido em pelo menos 3 amostras salivares, como mostrado na imagem abaixo. A análise pelo sangue feita apenas pela manhã em jejum (como é usual em exames de sangue) não é precisa, além de ser insuficiente para diagnosticar corretamente o problema. Na coleta de saliva isso não ocorre pois é feita no conforto do lar, logo ao acordar, sem fatores externos para influenciar a amostra.

O paciente acometido de fadiga adrenal vai penar de consultório em consultório pois esta medicina tradicional, além de não saber diagnosticar, também não saberá tratar o problema e o paciente correrá o risco de ser encaminhado para um Psiquiatra pois seus sintomas (típicos da fadiga adrenal) poderão ser confundidos com depressão e problemas correlatos. 

São vários os sintomas da fadiga adrenal, muitos característicos de outros problemas também. Os mais comuns e que afetam a maioria das pessoas que têm fadiga adrenal, mulheres e homens, são os seguintes: dores lombares, tonturas, palpitações, pele seca, queda de cabelos, perda de libido, imunidade diminuída, cansaço excessivo, desejos anormais por comidas salgadas ou doces, falhas de memórias, alterações de humor, irritabilidade, envelhecimento precoce. 

Temos pequenas glândulas chamadas suprarrenais que ficam localizadas um pouco acima dos rins. Sua função é controlar o estresse produzindo hormônios como cortisol e adrenalina.

A vida moderna nos impõe uma carga muito grande de preocupações que acabam gerando estresse. Para combater esse estresse as suprarrenais produzem cortisol constantemente na tentativa de auxiliar o organismo nessa tarefa. Nosso corpo não tem a capacidade de suportar este excesso de hormônio fabricado paras combater o estresse e assim, o que deveria ser fabricado apenas em determinadas situações, acaba sendo usado frequentemente, fazendo as adrenais trabalharem em sobrecarga e provocando a fadiga adrenal. 

Veja a imagem abaixo que apresenta um quadro típico de fadiga adrenal pelo diagnóstico salivar de uma paciente com 39 anos mostrando a evolução do cortisol no organismo ao longo do dia com 3 análises (manhã – tarde – noite). 
  
As duas linhas azuis marcam os limites inferior e superior admitidos como normais para o cortisol ao longo de um dia. 


  1 – O primeiro ponto vermelho pela manhã (8 horas) está muito abaixo do que deveria.

RESULTADO = paciente acorda cansado, desânimo profundo, beirando à depressão, sem vontade de sair da cama.

2 – O segundo ponto coletado pela saliva no meio da tarde, entre 16 e 17 horas embora esteja dentro do limite, está numa dosagem abaixo da ideal.

RESULTADO = paciente sente sono e cansaço, preguiça para desempenhar as atividades no trabalho ou em casa e o desânimo continua.

3 – O terceiro ponto, entre 22 e 23 horas, quando o cortisol deveria cair drasticamente para que haja um sono perfeito e reparador, aponta dosagem bem acima do normal.

RESULTADO = paciente tem insônia, sono interrompido algumas vezes durante a madrugada, o que faz com que a pessoa acorde cansada, sem disposição, repetindo-se o ciclo demonstrado acima ao longo do dia.


Um médico experiente em diagnósticos salivares vai levar em conta obviamente os demais hormônios entre eles a Testosterona, DHEA, Progesterona e Estradiol (todos dosados no Perfil Hormonal Salivar Básico). Outra precaução, típica de clínicos experientes, é solicitar ao paciente os exames de sangue básicos para diagnosticar eventuais problemas na Tireoide (T3 livre, T4 livre, TSH e T3 reverso) e isso se deve ao fato de que a fadiga adrenal pode causar sérios danos à Tireoide, prejudicando seu funcionamento regular.

Dessa forma, através de fórmulas perfeitamente balanceadas, com a segurança do diagnóstico salivar, o médico fará a prescrição que deverá ser manipulada em laboratório idôneo e capacitado à tecnologia.

OPINIÕES E VÍDEOS

Nos links abaixo você poderá assistir vídeos da Dra. Clarice Luz e outras autoridades no assunto falando sobre a Medicina Anti-Envelhecimento, o Exame de Saliva e sobre Manipulação de Fórmulas para tratamentos de modulação hormonal bioidêntica.

 


Acesse estes links e assista alguns vídeos do Dr. Oscar Villanueva, médico altamente capacitado nesta tecnologia, falando sobre o tratamento e de seu trabalho como médico.





Fontes das Imagens:
LAB VITRUS - Laboratório de Análises e Pesquisas Clínicas de Porto Alegre / RS
FORMÉDICA -  Farmácia de Manipulação – Curitiba / PR


Para mais informações vá até a sessão  CONTATO.
Preencha e envie o formulário de e'mail com as suas dúvidas.
Em breve você receberá as informações solicitadas.                                 

  __________________________ x _____________________________


DIAGNÓSTICO DA INTOLERÂNCIA ALIMENTAR OU ALERGIA ALIMENTAR TARDIA

O exame de saliva também é aplicado como poderosa ferramenta à disposição dos profissionais da área de nutrição para aplicação de dietas corretas para pessoas que apresentam o problema de intolerância a determinados alimentos.

A alergia alimentar é um problema nutricional que vem aumentando significativamente nas últimas décadas, supostamente devido à maior exposição da população a um número maior de alérgenos alimentares.

Estudos indicam que a alergia alimentar atinja cerca de 7% das crianças e 4% dos adultos. Normalmente nos adultos esse tipo de alergia persiste pela vida toda, e já nas crianças manifesta-se apenas na infância resolvendo-se após os quatro anos de idade espontaneamente.

Diversas causas podem contribuir para este distúrbio principalmente quando certas enzimas digestivas são produzidas de forma insuficiente trazendo transtornos e causando intolerância aos alimentos, pois estas enzimas são essenciais para a sua digestão. Basicamente os alimentos, ao serem ingeridos, precisam ser transformados em seus constituintes básicos pela digestão. Se a digestão não for completa devido à falta destas enzimas digestivas, poderão restar proteínas estranhas ao sangue do paciente, o que irá produzir anticorpos ou irá reagir com um processo inflamatório não imunológico.


  
O aparelho digestivo, por ser intensamente enervado e por ter uma grande quantidade de gânglios linfáticos, tem uma atividade imunológica muito intensa, pois frequentemente é confrontado com uma grande quantidade de proteínas estranhas ao organismo, vírus, bactérias, fungos. Assim, a geração dessas proteínas estranhas ao paciente devido à digestão deficitária poderá fazer com que o sistema de defesa do organismo atue de forma indevida. 

Diversos tipos de alimentos, como o leite de vaca, os ovos, os peixes e os frutos do mar, as frutas, as leguminosas, as oleaginosas, as hortaliças e os cereais podem levar ao aparecimento de manifestações alérgicas. Estas reações alimentares variam de acordo com a sensibilidade de cada pessoa, podendo ocorrer reações moderadas, com rinite, conjuntivite, espirros, cefaleia, irritações cutâneas, e em pessoas extremamente sensíveis, pode ocorrer um choque em poucos minutos. 

Muitos pacientes com enxaqueca clássica podem ser portadores de alergias alimentares ocultas sem terem conhecimento disso. Esses distúrbios podem ser evidenciados por meio do exame salivar de forma fácil e objetiva.



A Imunoglobulina E (IgE) é um anticorpo. Está presente no soro sanguíneo em baixas concentrações e é encontrado na membrana de superfície de basófilos e mastócitos em todos os indivíduos. Tem um papel importante na imunidade ativa contra parasitas helmintos, atraindo os eosinófilos. Cerca de 50 % dos pacientes com doenças alérgicas tem altos níveis de IgE. 

Os anticorpos da classe IgE são responsáveis pelos fenômenos anafiláticos (reações alérgicas extremas envolvendo todo o corpo podendo provocar complicação respiratória, perda de consciência e até mesmo o óbito do paciente). 

A Alergia Aguda é caracterizada por uma reação imediata e intensa, mediada pela produção de anticorpos IgE. Já a Alergia Tardia é uma reação lenta, que pode demorar dias, semanas e até meses para o aparecimento dos sintomas e sua ação é mediada por anticorpos IgG, que são específicos para cada alimento.

Até recentemente o único teste cientificamente comprovado para o diagnóstico da Alergia Tardia era o realizado pelo sangue. Contudo, dentre as dificuldades para realização do exame estão no impedimento legal de coleta de sangue pelos nutricionistas, a necessidade de envio das amostras para o exterior e um alto custo, além dos alimentos testados fazerem parte mais da dieta norte-americana que da brasileira.

Pesquisadores brasileiros, Dra. Clarice Luz, Dr. Gabriel Carvalho e Dr. Jose Irineu Golbspan desenvolveram estudos científicos sobre o Teste Salivar para Alergia Alimentar Tardia que evidenciaram várias vantagens para sua utilização, entre elas: 

Coleta simples e não invasiva
A coleta da saliva é simples, indolor, não invasiva e pode ser realizada em qualquer idade, sem qualquer restrição, no conforto da residência do paciente em um kit coletor de fácil utilização.

Alta Sensibilidade
Mostra a quais alimentos e em que grau de sensibilidade o paciente apresenta resposta imunológica mediada por IgG (Alergia Tardia), ou seja, o teste mostra a definição para quais alimentos há reação por IgG (Alergia Tardia) e o exato nível de sensibilidade a cada um deles.

Estabilidade 
O teste salivar é mais sensível que os testes sanguíneos e as amostras de saliva apresentam maior estabilidade após a coleta do que as amostras de sangue colhidas em laboratório, além de ser indolor e sem a tensão de precisar ir a um posto de coleta de sangue com introdução de agulha na veia. 

Custo Acessível
Com custo bem mais acessível e resultados mais precisos que os exames de sangue, o exame salivar para diagnóstico da Alergia Alimentar Tardia torna-se ferramenta segura e eficaz para a correta escolha dietética e melhora na evolução clinica dos pacientes.

A partir do Teste Salivar, os profissionais da área da Nutrição poderão prescrever o plano alimentar mais adequado a cada paciente determinando quais alimentos devem ser eliminados, quais devem ser evitados parcialmente, substituídos ou rotacionados e quais podem ser consumidos livremente.


No total, são 60 alimentos testados, distribuídos em alguns grupos:

Grupo 1 - Leite e ovos
leite de vaca
ovo total


 

Grupo 2 - Peixes, Crustáceos e 
Frutos do Mar

Atum

Mix Peixe Carne Branca - Bacalhau, 
Hadoque e Linguado 

Mix Peixe Água Doce -Truta e Salmão 

Mix Crustáceos - Camarão, Lagosta, 
Caranguejo, Mexilhão, Marisco  



Grupo 3 - Carnes         
Carne Bovina
Cordeiro
Frango
Porco



Grupo 4 - Frutas            
Azeitonas
Laranja
Limão
Maçã
Melão
Melancia
Morango
Tomate

 

Grupo 5 - Grãos e Cereais
Aveia
Arroz
Centeio
Cevada
Glúten
Milho
Trigo



Grupo 6 - Castanhas 
e Sementes

Amêndoa
Amendoim
Cacau
Café
Castanha de Caju
Castanha do Pará
Gergelim
Nozes



Grupo 7 - Vegetais
Aipo
Alho
Alho Porró
Batata
Brócolis
Cenoura
Couve/Repolho
Pimentão Amarelo
Pimentão Verde
Pimentão Vermelho
Mix Leguminosas - Ervilha, Feijão,
Lentilha, Soja.



Grupo 8 - Diversos       
Chá
Fermentos 
Leveduras




             __________________________ x _____________________________

Para mais informações vá até a sessão  CONTATO.
Preencha e envie o formulário de e'mail com as suas dúvidas.
Em breve você receberá as informações solicitadas.